Quais são os profissionais envolvidos na assistência ao parto

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram

A gestação e, principalmente o parto, são momento que trazem muita insegurança e deixam as emoções mais fortes. Afinal, você quer segurar o seu filho no colo e saber que tudo deu certo.

Uma das formas de você se sentir segura, é ter total conhecimento de tudo que está acontecendo e quem está cuidando de cada parte do processo de parto.

Por isso, fizemos esse artigo para você saber exatamente quem são os profissionais que prestam assistência direta ao parto, quais os outros profissionais da saúde envolvidos na assistência durante a gestação, parto e pós-parto e qual o papel de cada um deles.

A atenção a gestação e parto precisa ser integral para garantir segurança e humanização na assistência.

Existem diversos profissionais ligados a gestação e parto. Mas, nem sempre, você será atendida por todos eles. Isso vai depender do seu quadro, do acesso a esses profissionais e do modelo de atendimento obstétrico que você está inserida.

É super importante que, desde a gestação, você tenha acesso ao acompanhamento dos profissionais da saúde que precisar para esclarecer todas as dúvidas, preparar todos os envolvidos nessa nova jornada e para que tudo seja conduzido da melhor forma, em sua totalidade, para o seu bem e do bebê.

Para uma experiência de um parto humanizado hospitalar é fundamental contar com uma equipe multiprofissional, com profissionais atualizados que baseiam suas ações em evidências científicas.

Então vamos lá.

Profissionais envolvidos diretamente na assistência ao parto

Médico obstetra

Geralmente é o profissional da saúde mais conhecido aqui no Brasil. Para ser médico obstetra, esse profissional faz Medicina e depois uma Especialização/Residência em Ginecologia e Obstetrícia. 

Eles são habilitados a atender partos em qualquer lugar (hospitais, clínicas ou domicílio) e atendem tanto na rede pública ou privada (com convênio ou não).

Realizam partos normais ou cesarianas, realizam pré-natal tanto de alto risco quanto de risco habitual (baixo risco). 

Nos casos de risco habitual (baixo risco), normalmente acompanham o parto próximo ao nascimento ou se houver necessidade, pois o restante do acompanhamento pode ser feito por uma enfermeira obstetra ou obstetriz.

O foco da equipe médica é na resolução de alterações/ intercorrências que podem surgir durante o trabalho de parto e parto de risco habitual ou em acompanhar os partos de alto risco.

Na rede privada, você escolhe o médico que prestará assistência do pré-natal ao parto. Já na rede pública, trabalham em esquema de plantão e você geralmente não conhece quem atenderá o seu parto.

Enfermeiras Obstetras

Essas profissionais fazem Graduação em Enfermagem e realizam Pós-Graduação/ Especialização em Obstetrícia. São habilitadas a realizar partos normais de risco habitual (baixo risco) ou acompanhamento de partos, no geral. 

O Ministério da Saúde tem incentivado a atuação dessas profissionais, pois estudos científicos mostram bons resultados de partos acompanhados por elas (como diminuição de intervenções desnecessárias e maior satisfação das mulheres em trabalho de parto). 

Nas casas de parto são elas as responsáveis por todo o atendimento e, caso seja necessária uma intervenção especial, você que estará em trabalho de parto, será transferida para o hospital de referência.

As enfermeiras obstetras podem atuar no acompanhamento do trabalho de parto e realizar os partos normais nos Centros de Parto Normal (geralmente dentro dos hospitais) ou podem ser contratadas em hospitais privados para o seu acompanhamento e avaliação, quando estiver em trabalho de parto.

Essas profissionais também podem atender parto domiciliares, seguindo treinamentos e protocolos baseados em evidências científicas para segurança da mãe e do bebê e considerando a possibilidade de transferência para hospital de referência em curto prazo ( 20 minutos), caso necessário.

As enfermeiras obstetras são capacitadas a aplicar técnicas de alívio da dor durante o trabalho de parto e técnicas para auxiliar a evolução do trabalho de parto.

Também são habilitadas para realizar consultas de pré-natal e encaminhar ao médico em casos de complicação para pré-natal de alto risco, realizar os primeiros cuidados ao recém-nascido em sala de parto, realizar consultas de puerpério (pós-parto) e consultoria em amamentação.

Veja alguns relatos de parto que ilustram bem a atuação das enfermeiras e também das equipes:

Obstetrizes

Essas profissionais têm funções semelhantes a das Enfermeiras Obstetras. No entanto, a formação delas é diferente: até a década de 70, era por um curso técnico específico e, hoje, por um curso de formação que dura, em média, 3 a 4 anos, para se tornarem Obstetrizes. 

Em várias partes do mundo elas são equivalentes as parteiras ou “midwives”, sendo responsáveis em atender partos de baixo risco (hospitalar, domiciliar ou casa de parto) e acompanhamento de gestantes durante o pré-natal.

Parteiras

São conhecidas também como parteiras tradicionais, são as mulheres que aprenderam seu ofício na prática, geralmente auxiliando parteiras mais experientes.

São mais ativas em regiões onde o acesso aos hospitais é difícil, como em zonas rurais das regiões Norte e Nordeste do país.

São responsáveis pelos partos domiciliares e em alguns estados, recebem incentivo do governo através de doação de materiais e cursos de capacitação para que possam atualizar as técnicas que auxiliem no atendimento as mulheres em trabalho de parto.

Doulas

São acompanhantes de parto responsáveis por dar apoio físico e emocional durante o trabalho de parto, através de dicas de respiração, massagens, alteração de posições e encorajamento.

Geralmente a doula é uma escolha sua e a acompanha desde o início do trabalho de parto até o nascimento do bebê.

Não atuam clinicamente, não podem fazer exames ou avaliação do bem-estar da mãe e do bebê, ficando a cargo apenas dos profissionais formados para esse fim. Portanto, não substitui nenhum dos profissionais envolvidos na assistência ao parto.

Existem alguns municípios que já possuem lei para permitir a entrada da doula para acompanhar o trabalho de parto, além do acompanhante, como direito da gestante.

Se você fizer o seu parto em hospital público, alguns deles possuem doulas voluntárias a sua disposição.

O trabalho da doula não é reconhecido como profissão, mas como ocupação. Para ser doula, geralmente realiza-se um curso rápido de formação específico para esse fim. 

Segundo a Classificação Brasileira de Ocupações do Ministério do Trabalho, os pré-requisitos para ser doula geralmente são:

  • Ser maior de 18 anos;
  • Ter 2º grau completo;
  • fazer um curso para formação de doulas (carga horária mínima: 80h) com prática supervisionada.

Médico Pediatra/Neonatologista

Está é a especialidade médica para atendimento dos bebês ao nascimento e crianças até a adolescência.

Na sala de parto, eles prestam a primeira assistência aos bebês, fazem os primeiros exames, avaliam seu bem-estar, aspiram e reanimam quando necessário.

São habilitados para realizar os primeiros cuidados independente do estado de saúde do bebê.

A grande maioria dos recém-nascidos precisam apenas de alguma observação que pode até ser feita pelo pediatra no seu colo no pós-parto imediato.

Depois desse primeiro contato com você, realizam o exame detalhado do recém-nascido.

Utilizam o Método de Capurro (para identificar a idade gestacional), verificam as medidas do bebê (perímetro cefálico e torácico, peso, comprimento, entre outros) e encaminham para o Alojamento Conjunto para ficar junto com você (caso o bebê esteja bem) ou a UTI neonatal (caso precise de cuidados especiais).

Os pediatras/neonatologistas geralmente são contratados pelas maternidades. No entanto, algumas permitem que você leve seu pediatra de confiança para a sala de parto.

Médico Anestesista

É o profissional responsável por realizar analgesia de parto (peridural ou raquidiana) para alívio da dor no trabalho de parto ou anestesia para cesariana.

Geralmente, o anestesista é contratado pelo hospital. Em algumas clínicas privadas, podem ser contratados como parte da equipe de um determinado obstetra ou até por você, caso queira um atendimento mais exclusivo.

Esse serviço é utilizado bastante no Brasil, ainda mais que a maior parte dos partos na rede privada ainda são cesarianas (mais de 80%).

Técnico de Enfermagem

Os técnicos em enfermagem prestam assistência a gestante medindo os sinais vitais (pulso, frequência cardíaca, frequência respiratória, temperatura), aplicam medicações prescritas pelo médico, informam a equipe de enfermagem ou médica sobre algum sinal de alarme que possa trazer risco para mãe ou bebê, providenciam os materiais necessários para os profissionais que estão acompanhando o trabalho de parto e no parto propriamente dito, auxiliam a executar técnicas de alívio da dor e orientam sobre a importância da amamentação.

Nos casos de cesariana, atuam como circulante da salas cirúrgica, providenciando os materiais necessários para a cirurgia.

Após o nascimento e do contato pele a pele entre você e o bebê, realizam as medidas do bebê, registram na caderneta da criança, aplicam vitamina k (intramuscular) e nitrato de prata (olhos do bebê) conforme prescrição do pediatra e auxiliam no primeiro banho do bebê.

Esses profissionais também vão avaliar os seus sinais vitais após o parto e passar qualquer intercorrência para a enfermeira responsável para conduta, inclusive dificuldades na amamentação.

Profissionais da saúde envolvidos na assistência a gestante

Durante toda a sua gestação até o pós-parto você também terá contata com vários outros profissionais que não estarão diretamente ligados ao parto, mas que vão te ajudar muito em vários momentos:

Fisioterapeuta

Esse profissional auxilia com massagem perineal e exercícios para preparação para o parto, como o uso do EPI-NO.

Além disso, fazem o acompanhamento no pós-parto com os cuidados do períneo e abdômen como medidas preventivas para problemas futuros e recuperação do corpo no pós-parto.

Nutricionista

Auxilia nas questões alimentares durante a gestação, ficando na nutrição e bons hábitos alimentares para conquista do equilíbrio e saúde integral, para gestação e parto saudáveis.

Ajuda também em aperfeiçoar a culinária familiar, focando em alimentação saudável com alimentos naturais. 

Psicóloga

Desenvolve um trabalho de acolhimento para os casais e levanta questões emocionais envolvendo a maternidade e todo seu entorno.

Auxilia em como formar vínculos saudáveis nas novas relações que irão se estabelecer no nascimento do bebê.

Acompanhante

Outro participante importantíssimo no parto é o acompanhante durante o parto.

A presença de acompanhante de sua escolha é garantida por lei e nenhum profissional de saúde pode excluir sua posição no parto.

O acompanhante também dará suporte emocional e físico a mulher, participará do nascimento e será fonte de apoio e segurança no ambiente que ela estiver.

Agora é com você!

Diante disso, vemos que cada profissional tem sua importância no acompanhamento durante a gestação, no momento do trabalho de parto e no pós-parto. Cada um tem uma função específica para te atender em sua totalidade.

Se você for contratar um profissional específico para algum destes momentos, é importante entender qual seu objetivo ou expectativa para a assistência que procura e se este profissional possui experiência na área, atua com foco na humanização da assistência e sua prática é baseada em evidências científicas.

Boa sorte!

Gostou deste artigo?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *