Amamentação correta: tudo o que você precisa saber

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no telegram

Criamos esse artigo para você saber tudo sobre amamentação e se preparar para esse momento desde a gestação para ter uma amamentação correta.

Quando você vê aquela cena linda de uma mãe amamentando seu bebê em uma bela poltrona, com um sorriso estampado no rosto, a impressão é de que amamentar é algo simples, natural e instintivo para as mulheres. 

O que quase ninguém conta é que não é tão simples quanto parece! Por mais que para algumas mães amamentar seja um instinto, para outras pode ser um grande desafio.

Não há dúvidas que o leite materno é o melhor alimento que você pode oferecer ao seu bebê. Além disso, a amamentação é uma ótima forma de iniciar uma relação tão importante e duradoura com seu bebê.

No entanto, o sucesso do aleitamento materno depende, muitas vezes, de pequenos detalhes, como a posição que seu bebê mama ou se a pega e sucção são eficazes.

Dificuldades para amamentar

As causas de dificuldade para amamentar podem ser inúmeras, como dor, fissuras, empedramento das mamas, mastite, aumento da produção de leite ou baixa produção do leite. 

Além do cansaço, estresse, falta de apoio e suporte familiar, uso de bicos e mamadeiras também podem atrapalhar a amamentação correta, pois a forma que o bebê suga esses itens é diferente que da forma que suga a mama.

Muitas mães acabam se sentindo frustradas e desanimadas por não amamentar da maneira como esperavam. E quando não encontram alternativas, podem se sentir culpadas em relação a maternidade e desistir de amamentar.

Preparo das mamas na gestação

Não é necessário preparar as mamas para amamentar durante a gestação. Normalmente, durante a gravidez, seu corpo já irá se modificar para essa função. Suas mamas irão ficar maiores, com as aréolas mais escuras e resistentes pela ação dos hormônios da gestação. 

Assim, não é recomendado que esfregue buchas ou toalhas nos mamilos para tornar o mamilo mais resistente e nem usar cremes nos mamilos para hidratá-los. As modificações próprias da gravidez já se encarregam disso.

O mais importante é que tenha acesso a informações seguras e reais sobre como ter uma amamentação correta e saudável e procure profissionais qualificados para fornecer orientações relativas a amamentação.

Como superar as dificuldades

A dor, o estresse, ansiedade, o medo, insegurança e falta de autoconfiança podem inibir a liberação da ocitocina (hormônio responsável pela descida do leite), prejudicando a saída do leite materno.

É fundamental que você esteja confiante, muito bem informada e acolhida. 

Saber que em você está o melhor alimento para o seu bebê e que a partir deste alimento ele vai crescer saudável, fará você sentir forte e capaz de enfrentar esta nova etapa da vida que é muitas vezes desgastante, mas absolutamente compensada pela alegria de poder auxiliar no desenvolvimento do bem mais precioso que é seu filho!

Munir-se de informação e pedir ajuda quando necessário são atitudes fundamentais para conseguir encarar essa missão que é a amamentação.

Todas as mulheres por natureza são capazes de amamentar. Algumas delas, por situações particulares necessitam de atenção especial nesse processo, para auxílio nas dificuldades que vierem a aparecer.

Quanto mais cedo iniciar o aleitamento materno (de preferência, na 1ª hora após o nascimento) com apoio dos profissionais capacitados no manejo da lactação, maior as chances de você estabelecer uma amamentação correta, tranquila e duradoura. 

Tempo de amamentação

Segundo a OMS, uma criança é considerada em aleitamento materno exclusivo quando recebe somente o leite humano diretamente da sua mãe, ou ordenhado e nenhum outro líquido ou sólido, exceto gotas ou xaropes contendo vitaminas, suplementos minerais ou medicamentos prescritos. 

É recomendado que a amamentação seja oferecida por você de forma exclusiva até 6 meses de vida e como complemento até pelo menos os 2 anos de idade.

Além disso, é importante a amamentação seja em livre demanda, ou seja, que você coloque o bebê para mamar quando o ele sentir necessidade, sem restrição de horário ou duração de cada mamada, principalmente nos primeiros meses de vida.

É recomendado que o bebê seja colocado ao seio materno em sua primeira hora de vida para garantir o maior sucesso da amamentação a longo prazo e para que você estabeleça um vínculo com seu bebê.

Escolha um hospital onde os bebês são colocados para amamentar logo após o nascimento e pratiquem o alojamento conjunto, para que você possa amamentar em livre demanda.

Com funciona a produção e descida do leite

Após o parto alguns hormônios produzidos durante a gravidez irão diminuir, a partir daí a mama iniciará a produção do leite. Ou seja, você não precisa se preocupar se não saiu leite enquanto estava gestante, realmente não era a hora.

Alguns estímulos são importantes para a produção e descida do seu leite, como promover a de troca de olhar entre você e seu bebê (estimula a produção de ocitocina), colocar o bebê para sugar ou apenas encostar a boca e língua do bebê no mamilo logo após o nascimento.

O leite humano é uma substância viva e sua composição se modifica a cada mamada acompanhando as necessidades do bebê.

O leite dos primeiros dias após o nascimento, chamado de colostro, oferece grande proteção contra infecções. Ele é conhecido como a “primeira vacina” do bebê e pode evitar 13% das mortes de crianças com menos de 5 anos por causas preveníveis. 

O colostro também é laxativo favorecendo a eliminação do mecônio (as primeiras fezes escuras) e, com isso, evita também a icterícia (característica pela pele amarelada do bebê) nas primeiras 24 horas de vida.

O efeito da sucção nas mamadas garante a descida do seu leite. Quanto mais o bebê suga e esvazia a mama, mais leite será produzido. Grande parte do leite de uma mamada é produzida enquanto a criança mama.

A descida do leite pode demorar de 24 a 72 horas. Nesse período as mamas ficam inchadas e um pouco doloridas (ingurgitamento mamário). 

Durante a saída do leite, você pode sentir pressão na mama, formigamento ou pequenas agulhadas. No entanto, você não deve sentir dor durante a amamentação, caso sinta, procure uma consultora de amamentação.

É importante salientar que a forma e tamanho das mamas estão relacionadas com a quantidade de gordura e não com a sua capacidade. 

Muitas mulheres ficam preocupadas, pois associam o tamanho da mama com a quantidade e produção do leite materno, mas nem sempre mamas grandes produzem mais leite ou vice versa.

Os benefícios da amamentação 

A amamentação correta traz inúmeros benefícios para você e para seu bebê. Veja no infográfico abaixo

Infografico dos benefícios da amamentação para mãe e bebê
Infográfico: Benefícios da amamentação

Posicionamento e pega

A posição e a pega correta do bebê irão influenciar na amamentação adequada e diminuir as chances de dor ao amamentar, rachadura nos mamilos, mastite ou outras dificuldades.

Algumas questões devem ser avaliadas por você na amamentação para garantir que o posicionamento e pega estão satisfatórios:

  • Você precisa estar relaxada e confortável na posição a escolher (deitada, sentada ou outra) e bebê confortável, na altura da sua mama (não mais baixo ou mais alto);
  • O corpo do bebê deve estar inteiramente de frente para você e bem próximo  (barriga do bebê voltada para o seu corpo);  
  • O bebê deve estar alinhado, a cabeça e a coluna em linha reta, no mesmo eixo; 
  • Você deve apoiar com o seu braço e mão o corpo e o “bumbum” do bebê;  
  • O nariz do bebê deve estar apontado para o seu mamilo;  
  • Você deve aproximar a boca do bebê de frente para a mama, para que ele possa abocanhá-la com a boca bem aberta;
  • Coloque a maior parte da aréola (área mais escura e arredondada da mama) dentro da boca do bebê;
  • A aréola precisa ficar mais visível na parte superior que na inferior (a pega é assimétrica);
  • Os lábios do bebê precisam estar virados para fora (boca de peixinho) e o queixo encostado na sua mama;
  • É importante que durante a mamada a bochecha do bebê fique redonda (“cheia”), sem estalidos ou covinhas. 

Como colocar o bebê para mamar

Temos algumas dicas importantes para serem observadas assim que for colocar seu bebê para mamar:

  • Ao dar de mamar, você deve estar calma e não apressar o bebê, pois seu estado emocional pode influenciar o dele;
  • Quando a mama estiver muito cheia, faça antes de amamentar massagem e ordenha manual para facilitar a pega do bebê;
  • Com os dedos indicador e polegar, massageie a região do mamilo em movimentos circulares e vá estendendo a massagem em toda a extensão da mama (da aréola até as axilas);
  • Para retirar o excesso de leite (se houver), após a massagem, comprima suavemente as regiões acima e abaixo do limite da aréola para a ordenha do leite materno;  
  • Encoste o mamilo na boca do bebê, para ele virar a cabeça e abocanhar a maior parte da aréola (reflexo de busca);  
  • Leve seu bebê à mama e não a mama ao bebê;  
  • Para oferecer o peito, segure a mama com o polegar acima da aréola e o indicador e a palma da mão abaixo, com a mão em formato de “C”, isto facilita a “pega” adequada (evite oferecer o peito com os dedos em formato de tesoura);  
  • Quando o bebê abocanha a maior parte da aréola suga mais leite e evita fissuras na mama;
  • Você deve ouvir o ritmo compassado de sucção, deglutição e pausa; 
  • A alternância das mamas é necessária, portanto, a cada mamada, ofereça a mama oposta da mamada anterior;  
  • Amamente seu bebê em livre demanda, ou seja, sem restrições de horários e de duração das mamadas;
  • Nos primeiros meses, é normal que o bebê mame com maior frequência e sem horários regulares e, com o tempo, ele vai criando sua própria rotina e espaçando as mamadas.

Algumas sugestões de posição para amamentar

Existem várias posições para amamentar seu bebê com segurança e pega correta, veja alguma delas:

Posição tradicional

Apoie o braço que segura o bebê com uma almofada, mantenha os ombros relaxados e o tronco e a cabeça do bebê alinhados, de frente para você e coloque a cabeça do bebê apoiada sobre seu cotovelo, levemente virado para fora, como na figura abaixo:

Posição tradicional de amamentação
Posição tradicional de amamentação – Fonte: EBSERH

Posição deitada

Deite de lado, com a cabeça apoiada em um travesseiro, mantenha os ombros relaxados e a cabeça do bebê alinhados, de frente para você, apoie a cabeça do bebê sobre seu cotovelo ou um travesseiro elevando-a e o braço levemente virado para fora, como na figura abaixo:

Mãe amamentando bebê posição deitada
Posição deitada de amamentação – Fonte: EBSERH

Posição invertida

Sente confortavelmente e com uma almofada de amamentação ou travesseiro para apoiar seu bebê e o posicione lateralmente ao seu corpo, com a cabeça apoiada na sua mão, como na figura abaixo. Essa posição é excelente para bebês que apresentam preferência por apenas um lado, mães com mamas grandes ou amamentação de gêmeos.

Mãe amamentando bebê posição invertida
Posição invertida de amamentação – Fonte: EBSERH

Posição de cavalinho

Coloque seu bebê de frente para você, com o tronco e a cabeça do bebê alinhados e com a cabeça dele apoiada.  Essa posição é indicada para bebês com dificuldade de pega e bebês sonolentos.

Mãe amamentando bebê posição cavalinho
Posição de cavalinho para amamentação – Fonte: EBSERH

Dicas finais para uma amamentação tranquila

  • Logo após a amamentação, passe o próprio leite no mamilo e aréola e deixe as mamas secarem livremente;
  • Evite o uso de conchas e protetores mamilares para deixar os mamilos mais arejados e evitar crescimento de bactérias e fungos indesejados no local;
  • Evite passar sabonete nas mamas e hidratantes no mamilo;
  • Utilize sutiãs confortáveis, de tecido macio (algodão), sem bojo, com boa sustentação e alças largas;
  • Se tiver produção excessiva de leite nos primeiros dias, massageie e ordenhe antes da mamada. Procure um banco de leite para realizar a doação do leite ordenhado (você irá receber as orientações necessárias para a ordenha correta);
  • É comum nos primeiros dias após o nascimento, ocorrer uma produção aumentada de leite, mas com o tempo a produção irá se ajustar a quantidade que o bebê mama;
  • Nunca puxe o peito para interromper a mamada. Para retirar o bebê da mama, coloque seu dedo mínimo entre o bico e boca do bebê e retire o peito suavemente;
  • Sempre procure um lugar confortável para amamentar: uma banqueta ou apoio para os pés pode ser útil;
  • Se o pai tiver disponível, envolva-o na amamentação, como colocar para arrotar, trocar fraldas ou ficar com o bebê para você descansar, por exemplo;
  • Deixe sempre disponível ao seu lado uma garrafinha com água para se hidratar frequentemente;
  • Tenha uma dieta saudável e diversificada para garantir a produção de leite e seu bem estar;
  • Caso você persista com dor para amamentar ou o mamilo esteja machucado, procure imediatamente uma consultora de amamentação, pois quanto antes iniciar o acompanhamento, menor as chances de desmame ou de agravar o caso.

Conclusão

Mesmo com todas as dicas e conhecimentos, você ainda pode enfrentar dificuldades na prática. A realidade sempre traz questões emocionais e situações que você pode precisar de ajuda.

Nós temos uma consultoria específica para amamentação. Se quiser saber mais basta clique abaixo que entramos em contato com você.

Gostou deste artigo?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *